Blog

NÃO INICIE UM PEQUENO NEGÓCIO ANTES DE LER ESTAS DICAS

Dicas começar um negócio do zero.

Então, não inicie um negócio antes de ler as dicas que vou te dar. Começar um negócio do zero pode dar uma tremenda dor de cabeça. Antes de pensar na parte burocrática de documentações para abrir uma empresa, há alguns outros pontos importantes, contudo poucos se perguntam.

Logo, para começar a empreender do zero, os primeiros passos são:

  1. Planeje e tenha uma estratégia
  2. Identifique o negócio ideal
  3. Comece com o pé direito
  4. Resolva um problema

1.Planeje. Tenha uma estratégia para começar o negócio.

Que tem que planejar antes de começar um negócio, você já sabe, não é? Realmente, você precisa colocar na sua cabeça que para dar certo você vai ter que:

Se organizar, identificar o que você gosta de fazer e ficar atento às oportunidades do mercado.

Sem dúvidas, o empreendedor precisa conhecer bem a área a qual deseja atuar. Contudo, é essencial também entender de gestão. A grande parte dos pequenos empreendedores é muito operacionais e pouco estratégicos.

O que quero dizer com isso, é que você se comporta dentro do seu negócio como se fosse mais um funcionário. Apenas fica no corre resolvendo pendências e problemas. Te digo uma coisa. Este não é o papel de um gestor! Pense nisso… Você precisa separar um tempinho para pensar no crescimento e na organização do seu negócio.

2. Identifique o negócio ideal para empreender

A princípio, ao se perguntar como iniciar um negócio, você deve se questionar: O que gosto de fazer? Quais são minhas habilidades? Me diz se você já tinha se perguntado isso…

Provavelmente, você não tem a resposta exata do que você gosta de fazer. Então comece excluindo o que você não gosta de fazer ou pelo tente definir em que você acredita ser bom.

Porque digo isso, por exemplo: gosto de dormir cedo. Dificilmente eu teria um restaurante que funcionasse à noite. Amo falar em público, ser palestrante é um grande prazer para mim.

Se seu negócio tiver a ver com o que você gosta de fazer ou te dar algum prazer, você vai ter mais forças para lidar com os desafios.

3. Comece a empreender do zero com o pé direito

Com toda a certeza, há um ponto muito importante: a oportunidade de negócio. Fique atento a uma área que esteja em crescimento ou em que os concorrentes estejam deixando a desejar.

Você pode empreender observando onde os consumidores estão insatisfeitos ou não têm produtos da forma a qual desejam. Você pode considerar um segmento ou até mesmo em uma determinada localização. Fique de olho!

Então, veja só. Uma das formas para empreender é conciliar o que você tem prazer em fazer ou faz bem, com uma demanda existente.

Por isso, para conseguir identificar a demanda, você precisa se acalmar e não ficar tão ansiosa para iniciar de qualquer jeito. Então, fique mais atento ou atenta ao que as pessoas estão buscando e que não tem muita oferta.

AH! Assim que terminar de ler este artigo, veja o vídeo no meu canal sobre a Go Diáspora , agência de intercâmbio criada por Sauanne Bispo. Quando pensou iniciar um negócio, ela conseguiu identificar uma oportunidade no mercado. Claro que esta oportunidade estava na área a qual ela tem conhecimento e gosta: viagens.

Sauanne percebeu que clientes de uma cidade viajavam 150 km para contratar um serviço de intercâmbio. Ela pensou: opa, por que não trazer a minha empresa para cá! Ela já tinha trabalhado na área e já tinha viajado mais de 17 países.

4. Resolva um problema…

Do mesmo modo, assim como o caso de Sauanne, outro ponto importante, é entender qual problema você pode resolver. Uma boa ideia para empreender tem a ver com pessoas que paguem pelo serviço ou produto!

Você pode pensar que teve a melhor ideia do mundo, se ninguém pagar por isso deixa de ser uma boa ideia. Ou não pagarem aquilo que você acredita que vale.

Digamos que você quer abrir um restaurante. Para ter ideias novas e inovar você tem que visitar os restaurantes no bairro, por exemplo. Vá até eles e se pergunte:

O que é que está faltando neles? O que pode ser melhorado? Qual é o público que eles não atendem e que eu podia atender? O que há em outras cidades ou países de inovador que pode atender esse público? Pesquise! Sai da zona de conforto.

Então, comece a ficar mais atenta a essas oportunidades, procure identificar o que o outro está falhando ou não está sendo atendido. Para ter uma boa ideia de negócio e começar a empreender requer que a pessoa se torne mais observadora. Portanto….

Vamos ser sinceros. Não tem como empreender sem ser estratégico. Seu negócio precisa ter um diferencial ou será apenas mais uma empresa que, provavelmente, quebrará no futuro. Não sou eu quem estou dizendo isso não, viu! São dados da pesquisa do IBGE (2013, 2014), alertando que em torno de 60% das empresas fecham com menos de 5 anos.

Então vamos combinar o seguinte, coloque as dicas dadas aqui em prática e me conte aqui no blog os seus resultados e como foi a sua experiência. Compartilhe com aquela pessoa que também quer empreender!

Espero ter ajudado! Venha empreender com paixão!

Compartilhe:

COMO IDENTIFICAR PÚBLICO ALVO?

Qual é o seu público alvo?

 A pessoa mais importante do seu negócio: O CLIENTE.

Saber como identificar público alvo é importantíssimo! A pessoa mais importante do seu negócio é o cliente. Logo, para um pequeno empreendedor ser bem-sucedido ele precisa conhecer seu público alvo e para isso você precisa conhecer bem o seu cliente.

Vou confessar para você que esse é um ponto muito difícil de lidar. Mas, precisamos cuidá-lo com muita atenção.

como identificar público alvo

Índice

  • 1 – Mas como identificar público alvo?
  • 2 – Como nichar o seu negócio?
  • 3 – Faça do seu negócio uma referência no mercado
  • 4 – Como inovar se meu público é todo mundo?

1 – Mas como identificar público alvo?

Quando pergunto para as pessoas quem é o seu cliente? Elas respondem: “todo mundo”.

Quanto desespero! O povo quer vender para todo mundo. Você vende roupa e quer vende para todo mundo. Se você vende bolo é para todo mundo! E, gente, não podemos vender para todo mundo!

Logo, existe um público específico que vai se identificar mais com o seu produto ou serviço e quanto mais você consegue afunilar, nichar o seu negócio, melhor.

Então, você diz: “vou trabalhar com padaria”. Em seguida, você tem que se perguntar: qual modelo de padaria? Para qual cliente? Para qual perfil de bairro? O que as pessoas dessa região estão precisando quando o assunto é padaria?

2 – Como nichar o seu negócio?

Quanto mais você for diminuindo o funil, melhor, por exemplo: “trabalho com mulheres…”. Mas mulheres de qual faixa etária? Qual classe social? O que é que elas gostam? 

É o que chamamos de persona, que em outro post vou detalhar para vocês entenderem melhor: quais os sentimentos, quais as angústias desse cliente -angústias essas que você deve solucionar com o seu negócio.

Ao considerar o momento quando você identifica quem é o seu público, quem você quer atender, quais as necessidades dele, você consegue preparar o seu negócio ou seu serviço melhor para essa pessoa.

Todavia se você não souber qual é o seu público, como vai aprimorar o seu negócio? Quando você diz “eu vendo para todo mundo”, você não vai conseguir vender para ninguém, pois vai ser mais um na multidão sem foco definido.

3 – Faça do seu negócio uma referência no mercado

Então, você tem que ser lembrado. “Olha, a minha empresa é referência em…”, “a minha empresa é para…”, “você tem que definir quem é o seu cliente”.

Por exemplo: Tenho loja de confecção plus size evangélico. Existem pessoas que gostam de roupas muito chiques. Se você conseguir definir isso, as pessoas vão lembrar, você vai ser referência na sua linha de negócio.

Nesse meio tempo, pare agora um minuto, e pense: quem é que você quer atender? Quem é o seu perfil de cliente? Tente definir até pelo seu próprio perfil: qual o público que você pode atender melhor?

4 – Como inovar se meu público é todo mundo?

Você nunca vai inovar se você acreditar que vai atender todo mundo. a inovação pessoal vem do cliente. Ele diz: “Olha eu não gostei disso”, “isso é um problema”, “poxa e se fosse dessa maneira…”. A inovação vem do cliente!

Portanto…

Você tem um negócio? Você quer empreender? Consequentemente você tem que aprender a como identificar público alvo.

Essa história de vender para todo mundo não é eficiente. Pelo contrário, é uma ideia sem rumo, e dessa forma, como sua empresa vai andar se você não nichar seu negócio?

Estude seus clientes e entenda qual o perfil deles, e qual a dor seu negócio está solucionando. Inove a partir daí: o que é que o mercado não tem que posso oferecer para esse público específico que eu atendo?

Me diz aí o que você achou desse post, você já tinha pensado alguma vez sobre isso? em nichar? Você tem alguma dificuldade de decidir quem vai ser seu cliente? Quem o seu negócio vai atender? 

Comenta aqui e venha empreender com paixão! Até mais!

Compartilhe:

Formação de preço – Por onde começar?

Identifique os reais custos do seu negócio

Como proceder a formação de preço? Vamos entender por onde começar! Tem uma história bem interessante que foi de uma empreendedora que entrou em contato comigo. Ela disse “Flávia, tenho grande dificuldade de saber qual o preço que devo cobrar”.

Então, quando conversamos, ela começou a listar os custos e percebemos o seguinte:

Tem muitos custos que ela não contabiliza. Por que isso acontece?

1 – Identifique os custos “ocultos” para a formação de preço

formação de preço

Custos com tempo e gasolina

No caso, ela trabalha com venda de bolos. Vai à casa de uma pessoa que é amiga e ocorre o seguinte: a amiga diz “Vem aqui tomar um café comigo”. Porém, essa visita é para fazer uma negociação.

 “Olha estou querendo contratar o seu bolo para um aniversário que vai ter de uma parente” 

Por mais que essa pessoa esteja lhe chamando como amiga, você está ali por negócio. Essa gasolina que você gastou, o seu tempo de estar ali tem que estar inclusos nos custos do serviço.

Custos com Pró-labore e Funcionária

Considere ainda a existência de duas questões: você como empreendedora que é a dona do negócio, e você como funcionária. Com isso, você tem que identificar quais seriam os custos para o seu pró-labore e os custos de ter uma funcionária.

Então, é muito importante você identificá-las, pois, vai chegar um momento que  você vai precisar contratar alguém e quando você formar seu preço, esse custo vai ter que estar incluso. Você pensa nisso? Atribui esse custo no preço do seu produto ou serviço?

Custos com almoço e telefone

Do mesmo modo, se você almoçar fora, estará no seu horário de trabalho.

No caso, ela saiu da casa dessa cliente, fechou negócio, gastou gasolina e foi almoçar em um restaurante. Então, se ela foi almoçar depois do trabalho, é negócio! Se ela usou o celular, também é negócio!

Todos esses gastos devem ser contabilizados e não podem ser negligenciados, pois, se assim ela fizer, nunca saberá os reais custos do seu serviço.

Como assim contabilizar aluguel?

Nesse meio tempo, ela voltou para casa e ainda está trabalhando.

Agora é que começa um conflito pior: ela trabalha em casa. Gente, ela vai fazer bolo! Precisa de uma cozinha com espaço, não precisa?

Então, quando sua empresa começar a crescer, vai ter que sair de casa. Você contabilizou esse preço? Você tem noção do aluguel que pagaria?

Por isso, é preciso pensar que, uma parte do seu aluguel (se seu negócio funciona em casa), deve ser prestação de gastos. Você tem que chegar para a sua pessoa jurídica, você enquanto empresa, e prestar contas desse gasto. Afinal, você está usando o gás, a cozinha, às vezes o auxílio do filho, marido etc.

Porquê, gente, no momento que você sair daquele negócio dentro de casa e ir montar uma empresa, vai ter que pagar aluguel, funcionários, impostos quando começar a emitir nota fiscal, etc.

Muito provavelmente o preço do seu produto estará totalmente fora da realidade, o que trará uma dor de cabeça muito grande.

Além do quê, se o empreendedor não tiver noção desses custos, ele está correndo um sério risco de estar “pagando para trabalhar”.

2 – A importância de listar e ter noção dos seus custos para a formação de preço

“Ok Flávia, se eu colocar tudo isso em meu preço, eu não vou vender para ninguém, porque vai ficar muito caro!”

Mas vocês precisam ter essa noção agora para saber se está obtendo algum lucro e qual é esse lucro. E também, ter noção desses custos para quando for estabilizar e formalizar a empresa.

Quando organizamos a empresa muitas vezes não fazemos isso. Então, pessoal, deixem bem claro os custos fixos da pessoa jurídica.

3 – Agora é com você!

Então, analise o seu produto ou serviço! Dê uma olhada, pesquise na internet. “Vou fazer bolo, vou tirar fotografias, vou vender roupas”. Mas quais são seus custos? Energia, telefone, gasolina, transporte, alimentação, salário, funcionários e impostos.

Tudo isso você vai contabilizar, para ter uma noção dos custos da sua empresa, e a partir dai ter uma adequada formação de preço. Porém, você vai ter que separar no momento em que estiver fazendo a atividade.

Você precisa saber o quanto sua empresa tem de custos fixos mensais, e o quanto você tem de custos como pessoa física.

Conclusão

Os custos de um negócio são parte fundamental para a formação do preço de vendas, e eles devem ser cuidadosamente apontados para o empreendedor ter um retorno consciente de todo o seu trabalho.

Então é isso! Sucesso! E vem empreender com paixão! Até a próxima.

Compartilhe:

GESTÃO FINANCEIRA PARA PEQUENAS EMPRESAS: APRENDA POR ONDE COMEÇAR!

5 passos para iniciar a gestão financeira para pequenas empresas

  1. ORGANIZE A SUA GESTÃO FINANCEIRA PESSOAL
  2. REDUZA OS SEUS GASTOS PESSOAIS
  3. TENHA UMA RESERVA DE EMERGÊNCIA PARA PESSOA FÍSICA
  4. ABRA UM CONTA EXCLUSIVA PARA A SUA EMPRESA
  5. COMECE A LISTAR OS CUSTOS E DESPESAS DO SEU NEGÓCIO

O GRANDE ERRO

A gestão financeira em pequenas empresas é um ponto fundamental para o sucesso do negócio. Alguns empreendedores quando começam, esquecem que a pessoa física (Você), também precisa pagar as contas: internet, água, energia, roupa, alimento, etc.

Logo, o dono do negócio erroneamente começa a fazer retiradas da empresa para suas despesas, antes mesmo que ela possa pagar os investimentos feitos.

É preciso considerar que leva um tempo para ocorrer o retorno do investimento e ainda mais tempo para ter lucro. Por isso, não é aconselhável fazer retiradas da empresa antes que o lucro esteja acontecendo.

Portanto, para diminuir os impactos negativos de fazer isso em seu negócio no início, SEPARE a conta pessoal da conta da empresa.

1 – ORGANIZE A SUA GESTÃO FINANCEIRA PESSOAL

gestão financeira para pequenas empresas

Então, você precisa parar e pensar o seguinte: quanto é que eu, pessoa física, preciso para sobreviver?

Portanto, comece a listar todas as despesas pessoais. Pode começar fazendo em um caderno, planilha de Excel ou aplicativo como Minhas Economias, Guiabolso ou Organizze. Levante: quais são as despesas fixas que você tem?

Dessa forma, compreendendo que as despesas fixas são aquelas que você tem todo mês, com pouca ou nenhuma variação. Tais como: água, luz, internet, transporte, telefone entre outras. Aqueles que são essenciais para você. É importante que você tenha em mente o valor mensal que você precisa para se manter.

2 – REDUZA SEUS GASTOS PESSOAIS

Após saber o valor mensal que você precisa para se manter, análise eles e questione o seguinte:

O que posso cortar ou reduzir?

Por exemplo: cancelar um cartão de crédito que você usa pouco, mas tem custos com anuidade. Outra coisa é reduzir o plano do celular por um mais em conta. Muitas vezes, tem mais recursos no seu pacote do que você precisa. Veja isso!

O que não preciso, mas leva meu dinheiro?

Por exemplo: aquela barra de chocolate que você compra sempre que vai ao supermercado ou aquele café na rua que você pode tomar em casa.

Em fim, comece a enxugar seus gastos de pessoa física. Avalie qual o mínimo que você REALMENTE precisa para sobreviver mensalmente.

3 — RESERVA DE EMERGÊNCIA PARA PESSOA FÍSICA

Portanto, o ideal é que a reserva de emergência seja para pelo menos 6 meses. Considere o total dos gastos fixos mensais que você identificou após a redução, para você saber o valor da sua reserva.

Entretanto, todo mundo te fala isso, e você diz: “Flávia eu não tenho dinheiro, não tenho recurso nem para começar”.

Ok, se você não tem dinheiro, o que você vai fazer?

Vou dar um exemplo: se mora de aluguel, opte por passar um tempo morando com a sua mãe ou pense em dividir a casa com uma amiga.

Portanto, você precisa encontrar meios de obter outras fontes de renda, de modo a ter dinheiro para se manter. Você não deve fazer retiradas do negócio nesse começo.

4 ABRA UMA CONTA EXCLUSIVA PARA A SUA EMPRESA

Além disso, a criação de uma conta-corrente jurídica vai lhe ajudar muito a separar e executar a gestão financeira da sua empresa.

O que surgir de movimentação financeira em seu negócio seja entrada ou saída de recursos, deve ocorrer apenas nessa conta. Logo, não use o cartão da empresa para outros fins que não seja para o negócio!

5 COMECE A LISTAR OS CUSTOS E DESPESAS DO SEU NEGÓCIO

Agora que a casa está arrumada você terá que gerir os custos e despesas da sua empresa.

Inicialmente as anotações no caderno e as planilhas de excel são mais que necessárias para você dar conta de gerir o seu pequeno negócio, mas não se acostume!

Pois, com o desenvolvimento do seu negócio, chegará uma hora que você vai precisar de um sistema de gestão. No papel, dificilmente você terá o controle e indicadores.

Enfim, para te ajudar, vou te dar uma dica de um sistema de gestão gratuito e confiável recomendado pelo SEBRAE

O MARKETUP é um sistema inteligente que integra vários campos de um negócio, pois ele tem o que são os chamados ERPs.

Por mais simples que esses 5 passos pareçam ser, eles são essenciais para iniciar a gestão financeira de seu pequeno negócio.

No mais

Observe que a falha na gestão financeira de pequenas empresas é muito comum. É um dos problemas que levam a quebra de muitas empresas.

Pois, diante da correria do dia a dia você pode acabar misturando as suas contas pessoas com as do negócio. Quando isso acontecer lembre deste artigo e organize as contas direitinho.

Uma coisa te digo, você vai se sentir orgulhosa (o) de si mesma (o)

Espero que este artigo tenha te ajudado em sua caminhada empreendedora. Acompanhe os outros artigos daqui do blog, com certeza vão lhe ajudar muito! Tendo dúvidas deixe um comentário. Venha #empreendercompaixão!

Compartilhe:

PASSO A PASSO PARA OBTER O AUXÍLIO DE 600,00 REAIS DO GOVERNO

INFORMAIS E MEIS PODEM SOLICITAR O AUXÍLIO DE 600,00 REAIS. SAIBA O QUE FAZER.

A Caixa Econômica Federal disponibilizou nesta terça-feira (7/4) o site em que informais, autônomos e MEIs podem solicitar o auxílio emergencial de R$ 600,00 a ser pago pelo Governo Federal nos próximos três meses.
💻Site da Caixa: auxilio.caixa.gov.br
📲 App para Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.caixa.auxilio
📲 App para iOS: apps.apple.com/br/app/caixa-aux%C3%ADlio-emergencial/id1506494331

Prazos de pagamento da 1ª. Parcela

  • Para quem já está no Cadastro Único: até quinta, 9/4, para quem é correntista da Caixa ou do Banco do Brasil;
  • Para quem é beneficiário do Bolsa Família: segue calendário existente;
  • Para novos cadastros: será pago em até cinco dias úteis, por meio de uma conta poupança digital gratuita da Caixa.

Quem pode receber os 600,00 reais?

  • Ser maior de 18 anos;
  • Não ter emprego formal ou trabalhar em regime de contrato intermitente e estar sem atividade;
  • Não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outros programas, exceto Bolsa Família;
  • Ter renda mensal de até meio salário mínimo (R$ 522,50) por pessoa ou total de até três salários mínimos (R$ 3.135,00);
  • Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,00 no ano de 2018.

O candidato deve ter cumprido UMA das condições abaixo para receber o auxílio:

  • Exercer atividade como Microempreendedor Individual (MEI);
  • Ser contribuinte individual ou facultativo da Previdência Social;
  • Ser trabalhador informal inscrito no CadÚnico;
  • Ter cumprido o requisito de até 20 de março de 2020.

MEI com DAS atrasado pode receber o auxílio de 600,00 do Governo?

Sim, desde que o CNPJ não tenha sido baixado, pois, o texto do Projeto de Lei nº 9236/17 não prevê nenhuma restrição dessa natureza para o MEI acessar o auxílio emergencial.

Fonte: @sebraebahia



Compartilhe:

SAIBA PORQUE VALE A PENA ABRIR UM MEI

Ser MEI é mais simples do que você imagina…

Por Amanda Araújo e Flávia Paixão

MEI quer dizer Microempreendedor individual. É considerado uma pessoa jurídica, já que possui CNPJ. É uma modalidade para você que deseja começar um negócio muito pequeno e não pode arcar com os altos impostos cobrados.

Imediatamente, quando falo CNPJ, vem à sua cabeça burocracia e dificuldades. Daí acredita a que não tem dinheiro para fazer esse processo. Muita calma nesta hora! Ser MEI é mais simples do que você imagina. 

Te apresento o MEI 

Em primeiro lugar, quero que entenda que o MEI é um profissional autônomo; normalmente enquadrado em atividades operacionais. Por esta razão, não são todas as atividades permitidas. Para saber quais são, você precisará pesquisar as categorias que podem ser MEI, certo? Geralmente, são atividades que não exigem diploma ou formação técnica para serem exercidas.

Dito isso, quando você se cadastrar como MEI, você passará a ter um CNPJ e com isso mais facilidades para abertura de conta bancária, pedidos de empréstimos e emissão de notas fiscais. Além de ter obrigações e direitos de uma pessoa jurídica

Agora, para ser MEI, é necessário…

  1. Faturar até R$ 81.000,00 por anos, ou seja, até R$ 6.750,00 por mês;
  2. Não ter participação em outra empresa como sócio ou titular;
  3. Ter no máximo UM empregado contratado que receba o salário-mínimo ou piso da categoria.

Uma vez que seja feita a formalização, o microempreendedor individual deverá realizar o pagamento mensal dos tributos de R$ 52,25 (INSS), acrescido de R$ 5,00 (para Prestadores de Serviço) ou R$ 1,00 (para Comércio e Indústria), por meio do DAS (carnê) emitido através do Portal do Empreendedor ou pela opção de Débito automático e Pagamento online.

Benefícios e direitos do MEI

Agora que você já sabe sobre os tributos a serem pagos, vamos aos benefícios e direitos do MEI:

  1. Então, tem direito a auxílio-maternidade;
  2. A afastamento remunerado por problemas de saúde;
  3. Aposentadoria;
  4. Além disso, sendo MEI, você ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL);
  5. Você pode abrir conta em banco e tem acesso a crédito com juros mais baratos (ou menos caros, né?).
  6. Cobertura da Previdência Social para você e sua família.
  7. Participar de programas e ações para empreendedores do SEBRAE e contratar serviços com desconto de até 70%.

Portanto, agora não tem desculpa para se formalizar, pois, o site é bem explicadinho e fácil de fazer. Além disso, vou te contar um segredo. Dá para fazer tudo isso de casa

Então, neste artigo: SAIBA PORQUE VALE A PENA ABRIR UM MEI, Você viu as informações importantes sobre o MEI e leu como fazer para ser MEI. Caso tenha mais dúvidas, você pode perguntar aqui nos comentários ou acessar o portal do empreendedor-MEI.

MEI : são aproximadamente 8,1 milhões de empreendedores querendo dominar o mundo!

Segundo matéria do Portal do G1, nos últimos 5 anos desde o período pré-recessão, o número de MEIs no país já cresceu mais de 120%. Portanto, somente nos 3 primeiros meses do ano, o Brasil ganhou 379 mil novos microempreendedores individuais.

Em fim, conte para mim, qual o seu negócio ou no que deseja empreender? Você já é MEI?

Compartilhe:

flaviapaixaooficial

#Palestrante:#Gestão Estratégica|#marketingdigital Inovação|#Mentora |#Embaixadora Ibero- Americana de Jovens Empresários
Acesse meu site e youtube⬇️

Empreender com PAIXÃO
This error message is only visible to WordPress admins

Error: API requests are being delayed for this account. New posts will not be retrieved.

There may be an issue with the Instagram access token that you are using. Your server might also be unable to connect to Instagram at this time.

×